pr-edvCerta vez, em uma aldeia, havia um rio que ninguém ousava tomar banho nele, pois era muito fundo e a correnteza era forte. Certo dia um garoto aproximou-se do rio e resolveu entrar. Em poucos instantes o garoto estava gritando por socorro, pois começou a afogar-se. Toda a aldeia veio para ver o que estava acontecendo, mas ninguém ousou entrar. De repente veio uma mulher gritando e chorando, pois era o seu filho que estava na água… Um homem vendo o desespero daquela mãe, resolveu entrar para resgatar o garoto, mas impôs uma condição, ele amarraria uma corda em sua cintura e as pessoas que estavam às margens teriam que segurar a outra ponta e puxarem-na assim que ele alcançasse o garoto. E, eles aceitaram a proposta. Chegando no meio do rio o homem conseguiu agarrar o garoto e gritou para que as pessoas os resgatassem puxando a corda, mas a multidão que estava à margem discutia de quem era a obrigação de segurar a corda. Outros discutiam sobre quem pagaria a corda caso ela fosse arrastada junto com aquele homem. Com isso esqueceram-se de segurar a corda, e os dois foram vencidos pela correnteza… e afogaram-se. Quando deram fé, era tarde demais. Este rio representa o mundo, o garoto, as pessoas perdidas sem Jesus, o homem que foi resgatar representa o missionário, e as pessoas que estavam à margem do rio a igreja. Eu não sei onde você se encaixa nesta história, mas reflita nela, pense sobre o que você tem feito por quem está lá, na outra ponta da corda! “Missões se faz com os pés dos que vão, com os joelhos dos que oram e com as mãos dos que contribuem”. Não com a filosofia dos que discutem.

Segundo o Pr Hernandes dias Lopes, esse é um retrato da igreja hoje. Muitas igrejas têm conteúdo, mas lhes falta ousadia. São ortodoxas, mas não têm paixão pelas almas. Têm conhecimento, mas não têm ardor evangelístico. Têm programa e organização, mas não saem das quatro paredes, tem boa música, mas toda a sua atividade é voltada para dentro. Noventa por cento das atividades da maioria das igrejas destinam -se à própria igreja, igrejas que alumiam a si mesmas e sonegam a sua luz para o mundo, deixando-o em densas trevas. A nossa oração, é que Deus derrame um grande avivamento sobre a igreja do Senhor, gerando um verdadeiro despertamento espiritual, que consequentemente trará um amor profundo pelas almas perdidas.   Embora seja uma grande responsabilidade, é muito mais uma incrível honra o ser usado por Deus na salvação dos pecadores, coisa que os anjos quiseram fazê-lo, mas o Senhor confiou a nós , os seres humanos salvos, redimidos pelo sangue de Jesus (I Pe 1.12). Esta é a melhor das parcerias:  representá-Lo diante das pessoas e das etnias, chamando os pecadores ao arrependimento.

O tema da nossa campanha, é por demais desafiador. Proclamai até que a terra escute.  Os desafios são grandes, as dificuldades são grandes, as resistências são grandes (dentro e fora da igreja), a seara é grande, mas, o nosso Deus é maior que todas as nossas dificuldades. Se ele usou doze homes, limitados, falhos como nós, e esses homens revolucionaram o mundo, imagine nós, que temos tantas ferramentas a nossa disposição? Portanto é hora de despertar e proclamar o evangelho, pois o evangelho é o poder de Deus para transformação de todo aquele que nele crê.

O Homenageado dessa campanha é o Pr, Misael Sena, que terá o sua biografia missionária registrada num livro produzido pela secretaria de missões da Cbn – Ba. O nosso alvo é 200.000.00. Por isso conclamamos a todos os pastores desse estado abençoado, para juntos abraçarmos essa causa, alcançando o alvo, para que possamos dar continuidade a obra missionária na Bahia e fora dela. Que Deus abençoe a nossa convenção, Que através da secretaria de missões ( SEAMI), tem abençoado muitos campos missionários no nosso Estado e fora dele.

Do vosso conservo

Pr Edvaldo Oliveira – Secretário de Missões