Definição
É uma sociedade religiosa sem fins lucrativos, filiada à Convenção Batista Nacional, criada pela iniciativa das igrejas Batistas Nacionais do Estado da Bahia em 10 de Julho de 1973 com o nome de Convenção Batista Missionária da Bahia. A partir de 02 de Novembro de 1997 passou a adotar o nome de Convenção Batista Nacional do Estado da Bahia.

Constituição
A CBN-BA é constituída de Igrejas Batistas Nacionais deste Estado que primam por um genuíno Avivamento Espiritual e crêem na experiência do Batismo no Espírito Santo, bem como, prática dos dons espirituais como realidade para a Igreja de Cristo presente no mundo.

Objetivos
A Convenção Batista Nacional do Estado da Bahia objetiva planejar e coordenar o trabalho cooperativo das igrejas a ela filiadas, criando departamentos ou órgãos a ela vinculados que visam desenvolver a obra de Evangelismo e Missões, Educação Teológica e Secular, Assistência Social, a produção de Literatura Cristã ou outra atividade compatível com a sua natureza, com a finalidade de promoção do Reino de Deus em concordância com as deliberação da Assembléia Geral.

Histórico
A CBN-BA foi organizada com 14 igrejas em 10 de Julho de 1973 com o nome de Convenção Batista Missionária do Estado da Bahia. A primeira Assembléia Convencional foi na Igreja Batista Betel de Vitória da Conquista tendo como presidente o Pr. Jurandir Miguel Martins dos Santos.

Pioneiros
Os pioneiros da nossa Convenção na Bahia foram os pastores: Artur de Souza Freire, Misael Sena de Silva, Jurandir Miguel M. dos Santos, Sinval Garcia, José Rodrigues e Isaías Cardoso. Obreiros estes, inflamados pela unção do Espírito Santo firmaram estacas e estabeleceram marcos que hoje estão aí representados pelas 86 Igrejas e 120 Congregações e cerca de 110 pastores. Os quais levantaram a bandeira da Renovação Espiritual sob o lema "Ninguém Detém é Obra Santa!".

CBN-BA Hoje
Hoje a Convenção Batista Nacional do Estado da Bahia procura manter a visão inicial dos seus pioneiros na expansão do Reino de Deus com a unção do Espírito Santo num mundo em crise!
Com a finalidade de apoiar as Igrejas Batistas Nacionais do nosso Estado a CBN-BA tem implementado um trabalho de fortalecimento nas mais diversas áreas abrangentes ao âmbito eclesiástico denominacional.

Dinâmica de Trabalho
01. Na preparação de obreiros para o ministério através do CFTBN – Centro de Formação Teológica Batista Nacional.

02. Abertura de novos campos missionários com parcerias de igrejas.

03. Apoio integral à CBN no fortalecimento denominacional.

04. Através da JAMI-BA tem sido feito divulgação e conscientização missionária à nível de igreja local, regional e estadual.

05. A CBN-BA tem apoiado a JAMI nacional na divulgação e levantamento de ofertas para o sustento missionário, intercessão e correspondência aos missionários.

06. Divulgação e distribuição da literatura Batista Nacional

07. Estruturação e fortalecimento dos departamentos (UEFBN-BA, UEMBE, JUBAN-BA.)

08. Acessoramento às igrejas nos projetos arquitetônicos e estruturais das construções de igrejas, casas pastorais, escolas, através da PROBAN – Projeto e Obras Batistas Nacionais.

09. Apoiar a ORMIBAN-Secção Bahia.

10. Representar a Bahia no CONPLEX-Conselho Nacional de Planejamento e Execução.

11. Desenvolver a integração, participação e desenvolvimento das nossas igrejas e obreiros por meio de simpósios, congressos, retiros, encontro regionais e estaduais.

12. Objetivando à formação de líderes em nossas igrejas tem sido promovido simósios e jornada teológicas.

13. Acompanhamento às igrejas quanto ao trabalho administrativo e pastoral das mesmas.

14. Manutenção da unidade doutrinária e denominacional.

O que é uma Convenção? Como funciona? Qual a sua importância? Quais seus objetivos? O Que é ser Convencional?  Vale ou não apena o associativismo e o cooperativismo? É Bíblico ou não?

 Não são as perguntas que movem o mundo e sim as ideologias.

Alguns problemas existentes em nosso meio são decorrentes da falta de conhecimento da instituição e sua funcionalidade. Muitos desconhecem os processos.
Antes de compartilhar a importância de um sistema convencional para o crescimento do Reino de Deus. Gostaria de esclarecer cinco coisas que as considero básicas:

Primeiro, as igrejas não são da Convenção, a Convenção que é das igrejas.

Segundo, não foi a Convenção que criou as igrejas, as igrejas foram quem instituíram a Convenção para ser uma agência facilitadora, ou seja, um instrumento de apoio às igrejas.

Terceiro não é a Convenção quem põem ou tira pastores, ela poderá auxiliar tanto a pastores como às igrejas; mas, quem decide é a igreja.
Quarta, as igrejas são autônomas, mas; uma vez filiadas à CBN-BA devem submeter-se às normas da mesma.

Quinto, os pastores membros da ORMIBAN são sujeitos às normas e disciplinas da Ordem.

O nosso desafio tem sido promover o crescimento das igrejas, tornando a CBN-BA multiplicadora, capaz de alcançar outros campos e contribuindo também para uma mudança de mentalidade institucional.
Disse o apóstolo Paulo: “… fizestes bem, associando-vos na minha tribulação. E sabeis também vós, ó filipenses, que no início do evangelho, quando parti da
Macedônia, nenhuma igreja se associou comigo no tocante a dar e receber, senão unicamente vós outros.” Fl 4: 14,15.

A principal característica do associativismo é o cooperativismo, e um dos principais aspectos da natureza do associativismo é o compartilhar. Portanto meus irmãos, socialize, compartilhem suas alegrias, tristezas, lutas, vitórias, sofrimentos…  como disse o apóstolo Pedro: “…sofrimento iguais aos vossos estão  se cumprindo na vossa irmandade espalhada pelo mundo.” I Pe 5.9

Vivemos em um mundo globalizado, consciente poder do associativismo; a União Europeia e o Mercosul são prova disso. A ideia de cooperativismo vem deste o Antigo Testamento e o apóstolo Paulo com muita precisão descreve o poder do cooperativismo para o avanço do evangelho. Em maio de 1845, na cidade de Augusta, Estado da Geórgia, foi organizada a Convenção Batista do Sul dos Estados Unidos. Seus objetivos eram primariamente missionários. Desde 1914, os batistas norte-americanos se tinham despertado para o imperativo cristão da pregação missionária.

Desde os primórdios e passando pela história da igreja, percebe-se o espírito cooperativista para a implantação de igrejas. Portanto uma CONVENÇÃO deve ser antes de tudo missionária, cooperadora para o desenvolvimento sustentável das igrejas e criteriosa nos princípios da: Fé, unidade, dependência total do Espírito Santo, vida de abundante graça, missão integral e planejamento estratégico.

Quando lemos os objetivos das CONVENÇÕES em seus Estatutos, é isso que observamos. A AME, por exemplo, quando foi fundada tinha por finalidade planejar e executar o trabalho cooperativo das igrejas a ela filiadas… promover educação teológica e religiosa, atividades missionárias evangelísticas e de avivamento, obras de assistência social…  Assim, a CBN e a CBN-BA.

Entendo a importância de um sistema convencional por vários aspectos:

Missiológico – (implantação de igrejas);

Teológico – (fortalecimento, combate de heresias – os credos, nós lembra a história a sua importância);

Social – (a comunhão, o compartilhar, o estar juntos, a dependência do outro… Pv 18.1, e como já dizia o pensador: “Existir é coexistir” (Gabriel Marcel). O homem, um ser que depende, desde o ventre ao sepultamento);

Econômico – (a força sinestésica geradora de um valor superior ao valor do conjunto dos seus agentes);

Até mesmo na cadeia alimentar, na lei da sobrevivência percebe-se a associação das espécies na natureza para sua preservação.  

Queremos deixar tudo o que nos embaraça e prosseguirmos para o alvo. A saber, a quintuplicação do número de igrejas no Estado da Bahia. Venha conosco neste desafio, como disse o apóstolo Paulo: “A ti, fiel companheiro de jugo, também peço que as auxilies, pois juntas se esforçaram comigo no evangelho, também com Clemente e com os demais cooperadores meus, cujos nomes se encontram no Livro da Vida.” (Fl 4:3)

Alguns projetos para promoverem o crescimento:

 

  1. Projeto Inclusão – O coordenador e sua regional deverão identificar igrejas renovadas com doutrinas batistas – despertar a mentalidade cooperativista e promover a adesão à CBN-BA.

 

  1. Projeto Implantação de Igrejas Via Seminários/SEAMI – identificar seminaristas missionários ou evangelistas, que tenham experiências em suas igrejas, planejar e executar a implantação de igrejas em uma parceria tripula: Igreja do Seminarista, o Seminarista e o Seminário. O seminário deverá ter as disciplinas de Implantação de Igrejas, Evangelismo e Missões.

 

  1. Projeto Tático – Identificar métodos de crescimento que não firam os princípios batistas nem a unidade da igreja e aplicá-los. 

 

  1. Projeto Sociabilidade/Integrabilidade – Os coordenadores promoverão em suas respectivas regionais o ajuntamento das igrejas, congressos da família, uniões/ministérios, missões, etc.

 

  1. Projeto Capacitação – Implantação de Seminários por meio de módulos em cada regional; promover cursos de capacitação para tesoureiros, diáconos, secretários (a), liderança, área social, evangelismo, pregadores e professores de E.B.D…

 

  1. Projeto sede própria ­ aquisição de um espaço para reuniões e sede administrativa da CBN-BA

 

  1. Projeto Social – Implantar um centro social: centro de recuperação masculino, centro de recuperação feminino e abrigo para idosos (a casa do ancião).

 

  1. Projeto Crescimento Implantação de Igrejas 5%

 

  1. Avaliação Institucional – Levando em consideração que a avaliação é um poderoso instrumento para o aprimoramento de qualquer instituição. Estaremos em constante avaliação

 


Acreditamos na instituição e esperamos no Senhor, força, sabedoria e saúde para dar a nossa contribuição.
Como disse o apóstolo Pedro: “… finalmente, sede todos de um mesmo sentimento, compassivos, amando os irmãos, entranhavelmente misericordiosos e afáveis.” (I Pe 3:8)
No amor de Cristo, por uma Bahia convertida;

Pr. Odinei F. Oliveira
Presidente da CBN-BA